Equipe da Unifei é a campeã na categoria Lean Board Game do desafio Lean Simulation

Da esquerda para a direita: o professor José Antonio de Queiroz e os alunos Igor Valesin, Aline Mariana Venâncio, Dayanna de Carvalho Rodrigues, João Victor Negri Brentegani e Lucas Ventura Moraes.

 

 A equipe da Universidade Federal de Itajubá (Unifei) composta pelos estudantes Aline Mariana Venâncio, Dayanna de Carvalho Rodrigues, Igor Valesin, João Victor Negri Brentegani e Lucas Ventura Moraes, todos graduandos em Engenharia de Produção, e pelo professor José Antonio de Queiroz, do Instituto de Engenharia de Produção e Gestão (IEPG), sagrou-se campeã no desafio Lean Simulation, na categoria Lean Board Game, promovido pelo Grupo Engenho e pela FlexSim e apoiado pela Associação Brasileira de Engenharia de Produção (Abepro).

 O objetivo do desafio era que cada equipe utilizasse o jogo de tabuleiro Lean Board Game, desenvolvido pelo Grupo Engenho, para desenvolver, dentro do contexto do Aprendizado Baseado em Problemas, um estudo de caso sobre a aplicação dos conceitos da Engenharia de Produção na melhoria da qualidade, produtividade e flexibilidade das empresas.

 Diante deste desafio, que contou com a participação de universidades de todo o país, a equipe do IEPG desenvolveu um estudo de caso, utilizando como objeto de estudo uma confecção localizada na cidade sulmineira de São Lourenço, que trabalha dentro do conceito de Fast Fashion, ou seja, direcionada à produção de pequenas quantidades, de muitas variedades, a um custo baixo e com um lead time do pedido à entrega bastante curto.

 Para alcançar os objetivos propostos, a equipe do IEPG aplicou, na primeira rodada, conceitos da Manufatura Enxuta para alavancar a qualidade, a produtividade e a flexibilidade, bem como para eliminar desperdícios, isto é, aquelas atividades que não agregam valor aos clientes, mas que consumem recursos e, portanto, provocam o aumento dos custos.

 Os resultados alcançados nessa primeira rodada foram: redução do lead time do pedido à entrega em 55%, da área ocupada por produtos em processo em 78%, da área total em 74%, dos deslocamentos em 87%, da quantidade de operadores em 11% e um aumento da produção em 98%, ao alocar uma segunda máquina ao processo gargalo, a qual estava sendo subutilizada por uma outra família de produtos.

 Na segunda rodada, considerou-se um cenário em que ocorreria um aumento de demanda, fazendo com que a empresa não tivesse capacidade suficiente para atendê-la por completo. “Quando isso ocorre, é necessário que as empresas definam qual é o melhor mix de produtos a ser produzido, tendo como meta a produção daquele mix que maximiza o lucro operacional”, observou o professor José Antônio.

 Segundo o docente, para a definição deste mix, foram utilizados conceitos de Gestão de Custos, mais especificamente de Custeio Variável, quando há restrição de capacidade, e para demonstrar que o mix definido maximizaria o lucro operacional, foram aplicados conceitos de Pesquisa Operacional.

 Na terceira e última rodada, levou-se em conta um cenário em que o aumento de demanda considerado para a rodada anterior mostrou-se como algo duradouro, abrindo a possibilidade da aquisição de uma terceira máquina para quebrar o gargalo surgido na segunda rodada. Porém, tal aquisição só se justificaria se essa se mostrasse economicamente viável. Sendo assim, foram utilizados conceitos da Engenharia Econômica para se fazer a análise de viabilidade econômica, a qual demonstrou que era justificável a aquisição.

 Como premiação pela primeira colocação neste desafio, serão doados à Unifei um jogo Lean Board Game e dois jogos Supply Board Game, que se juntarão a um outro jogo, Lean Board Game, já doado pelo Grupo Engenho, possibilitando, desta maneira, a montagem de um espaço destinado à utilização de jogos como ferramenta para o Ensino Baseado em Problemas.

 Também está incluída na premiação um treinamento presencial ministrado pelo Grupo Engenho sobre o Supply Board Game, que ocorrerá, provavelmente, no mês de novembro, bem como uma visita técnica à Fábrica da Bauducco, em Extrema – MG, e o pagamento das inscrições dos alunos e do professor no XXXIX Encontro Nacional de Engenharia de Produção (Enegep), que ocorrerá entre os dias 15 e 18 de outubro em Santos – SP, ocasião em que a equipe do IEPG e as equipes classificadas no segundo e terceiro lugares serão premiadas. Entre jogos, treinamento, visita técnica e inscrições, a premiação total está em torno de R$ 60.000,00.

 O professor José Antônio Queiroz destacou que o resultado alcançado pela equipe do IEPG nesta competição só reforça o bom trabalho que vem sendo desenvolvido. Em 2018, equipes do mundo todo tinham como desafio otimizar um hospital de campo real, utilizado para atender as vítimas de furacões na região do Caribe. Na ocasião, uma equipe do IEPG obteve o segundo lugar.

 Em 2019, o desafio foi otimizar um hospital canadense, que teve sua demanda aumentada abruptamente pelo fechamento de hospitais menores próximos a ele. Dessa vez, outra equipe do IEPG foi a grande campeã. Esses dois desafios foram promovidos pela Society for Health Systems (SHS) e, em ambos, as equipes integraram, sob coordenação do professor José Antonio de Queiroz, conceitos da manufatura enxuta e o delineamento de experimentos ao software de simulação FlexSim Healthcare.

 Conteúdos adicionais sobre estes desafios podem ser acessados em: https://www.leansimulationsolutions.com.br/

 Para saber mais sobre o desafio recente em que a equipe da Unifei se sagrou campeã, acesse: http://www.leansimulation.org/lean-simulation

 E para conhecer melhor o Grupo Engenho, acesse: http://grupoengenho.com.br/