Equipe da UNIFEI é a grande campeã do desafio global FlexSim Healthcare 2021

O evento de 2021 reuniu soluções propostas por equipes do mundo todo para otimizar um centro ambulatorial endoscópico americano real, diante da nova realidade imposta pela pandemia da COVID-19 e seus abrangentes protocolos de prevenção.

A equipe vencedora do desafio foi composta por dois graduandos, dois doutorandos e um docente da UNIFEI.

 

 A equipe da Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI) composta pelos graduandos em Engenharia de Produção Gustavo Santos Coutinho e Rafael Hummel Santos, pelos doutorandos em Engenharia de Produção Gustavo Teodoro Gabriel e João Victor Soares do Amaral e pelo professor José Antonio de Queiroz, do Núcleo de Estudos Avançados para Apoio à Decisão (NEAAD), do Instituto de Engenharia de Produção e Gestão (IEPG), sagrou-se, novamente, a grande campeã do desafio global FlexSim Healthcare, promovido pela Healthcare Systems Process Improvement Conference, da Society for Health Systems (SHS) dos Estados Unidos.

 Além do reconhecimento internacional, os representantes da equipe receberam um prêmio de 2.500 dólares. Eles destacam como diferencial da equipe a utilização de ferramentas originárias da manufatura no ambiente hospitalar, para o qual elas trazem excelentes resultados, embora ainda sejam pouco utilizadas no Brasil.

 O evento de 2021, promovido remotamente, de 24 a 26 de fevereiro, reuniu soluções propostas por equipes do mundo todo em torno do desafio de utilizar a simulação computacional e o software FlexSim Healthcare na melhoria dos serviços de saúde. Trata-se do quarto ano que uma equipe do IEPG participa desse desafio.

 A proposta deste ano foi otimizar um centro ambulatorial endoscópico americano real, diante da nova realidade imposta pela pandemia do novo coronavírus (COVID-19) e seus abrangentes protocolos de prevenção. Entre os três finalistas, a equipe do IEPG foi a vencedora, competindo com alunos das instituições norte-americanas University of Louisville e Binghamton University, que ficaram em segundo e terceiro lugares, respectivamente.

 Dentre as principais melhorias propostas e simuladas pela equipe da UNIFEI, destacam-se o distanciamento social, o aumento das rotinas de limpeza e um processo de triagem antes que os pacientes entrem, de fato, no ambiente hospitalar.

 Após as modificações necessárias e utilizando conceitos de Engenharia de Produção, como o Lean Healthcare e o Design of Experiments, a equipe conseguiu, ao mesmo tempo, aumentar os lucros, diminuir o tempo de funcionamento do centro, balancear as cargas de trabalho entre os funcionários e reduzir o contato entre pacientes bem como seu tempo de permanência no ambiente hospitalar.

 Mais detalhes sobre esse desafio podem ser acompanhados em: https://www.iise.org/SHS/details.aspx?id=37376&utm_source=FlexSim+Master&utm_campaign=787604fc0c-ewsletter_HC&utm_medium=email&utm_term=0_d696ff9d8b-787604fc0c-419059021.

Edições anteriores do desafio

 Em 2018, equipes do mundo todo tinham como desafio otimizar um hospital militar de campo real, utilizado para atender as vítimas de furacões na região do Caribe. Nessa primeira participação, a equipe do IEPG obteve o segundo lugar.

 Em 2019, o desafio foi otimizar um hospital canadense real, que teve sua demanda muito aumentada pelo fechamento de hospitais menores próximos a ele. Nessa segunda participação, a equipe do IEPG foi a campeã.

 Em 2020, o desafio foi otimizar um centro cirúrgico americano real. Nessa terceira participação, a equipe do IEPG não esteve entre as três finalistas. “Porém, isso não nos desanimou, mas, sim, nos motivou a participar novamente, ainda com muito mais garra e muito mais dedicação, mesmo que isso não tenha faltado em 2020, pelo contrário”, disse o professor Queiroz, consultor da equipe da UNIFEI na competição.

 O professor José Antonio de Queiroz destacou que trabalhos semelhantes vêm sendo desenvolvidos em parceria com instituições públicas de saúde de Itajubá e região, dentro do Grupo de Estudos para Melhoria Operacional Hospitalar. Sob sua coordenação, este grupo está em criação e seu foco é a aplicação do Lean, do Six Sigma e do Scrum Agile Method nesses ambientes, sejam isolados ou integrados, preferencialmente.

Como é a competição

 A competição de simulação computacional entre estudantes que acontece na Health Systems Process Improvement Conference, é patrocinada pela FlexSim Software Products Inc. Nela, os participantes resolvem um estudo de caso real-world de saúde, utilizando o FlexSim, um software de simulação. Podem participar da competição equipes de no máximo quatro alunos, mais um consultor, não podendo haver nelas mais do que dois estudantes de pós-graduação.

 Os membros da equipe e seu consultor não são obrigados a ser membros do Institute of Industrial & Systems Engineers (IISE) ou da Society for Health Systems (SHS) para entrar na competição, mas, como cortesia da FlexSim, eles se tornam membros da SHS por um ano, se participarem de uma das três equipes selecionadas para competir na final.

 A FlexSim fornece o software e as licenças de uso para todos os alunos interessados em participar, os quais têm entre oito e dez semanas para desenvolver soluções. Três equipes finalistas são selecionadas para apresentar suas propostas na conferência final, sendo que neste ano de 2021 as apresentações ocorreram remotamente.

 Os prêmios em dinheiro são concedidos às equipes concorrentes de acordo com sua posição final: 2.500 dólares para o primeiro colocado, 1.500 para o segundo e 1.000 para o terceiro.