Equipe do LTHE confecciona totens dispenser de álcool em gel para distribuição estratégica em unidades da UNIFEI no enfrentamento à COVID-19

Sob a chefia do professor Carlos Barreira Martinez, a equipe do LTHE confeccionou 20 totens dispenser de álcool em gel para distribuição estratégica no CHC e no campus sede da UNIFEI.

A possibilidade de ampliar o projeto e atender, além do CHC, o campus sede em pontos estratégicos contou com o apoio dos diretores do LTHE e do IEM, bem como da PROEX, DOBI e DSG.

O projeto desenvolvido tem como destaque a simplicidade, eficiência e o reaproveitamento de materiais para confecção.

A equipe do LTHE escolheu um modelo de simples confecção e de baixo custo, utilizando refugos e descartes comuns da Universidade.

Com a distribuição dos primeiros totens, alguns professores se interessaram em ter, pelo menos, um deles em suas unidades acadêmicas.

Ao todo, 20 locais estratégicos da UNIFEI foram beneficiados com a distribuição dos totens.

 

 Por iniciativa da equipe do Laboratório Thermo-Hydro-Eléctrico (LTHE), situado no prédio 3 do Complexo Histórico e Cultural (CHC) da Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI), e sob a chefia do professor Carlos Barreira Martinez, do Instituto de Engenharia Mecânica (IEM), foram confeccionados e distribuídos totens dispenser de álcool em gel para alocação estratégica em locais de maior circulação nas áreas da Universidade.

 A ideia surgiu a partir de uma demanda interna do Laboratório. Durante a reforma do seu espaço físico, percebeu-se a dificuldade que os operários tinham na higienização das mãos por meio de dispositivos acionados manualmente. Nessa oportunidade, os usuários do LTHE, Adriano, Carlos, Dieimys, Allann e Fagner, propuseram a aquisição de aparatos de acionamento pelos pés, os totens dispensers, que se multiplicam pelo país neste tempo de pandemia.

 O valor orçado, à época para aquisição foi superior a R$ 350,00 por unidade. Um estudo de viabilidade técnica, realizado pelo servidor Dieimys Santos Ribeiro, mostrou a possibilidade de se confeccionar um totem a partir de peças de refugo e descarte que se encontravam na oficina do LTHE, o que foi aceito pelo grupo.

Ampliação do projeto

 Com o apoio dos professores Luiz Fernando Valadão Flores e Silmara Cristina Baldissera Kabayama, respectivamente diretor e vice-diretora do IEM, bem como da Pró-Reitoria de Extensão (PROEX), da Diretoria de Obras e Infraestrutura (DOBI) e da Diretoria de Serviços Gerais (DSG), o projeto foi ampliado e foram montados totens para serem usados em diversos pontos da Universidade.

 A proposta inicial contemplava o reaproveitamento de materiais que iriam para descarte e um projeto mecânico simples e eficiente, mantendo o custo efetivo de confecção baixo. Sob a supervisão do acadêmico Adriano Silva Bastos, doutorando em Engenharia Mecânica orientado pelo professor Martinez, cada totem foi confeccionado ao custo de R$ 39,46, referente a aquisição dos demais materiais não provenientes de reaproveitamento.

 Segundo Dieimys Ribeiro, que propôs o primeiro protótipo, foi realizada uma pesquisa dos modelos disponíveis e analisada a viabilidade de cada um. Assim, um modelo de corpo unitário e de alavancagem central foi escolhido por ser eficiente, de simples confecção e de baixo custo, além de possibilitar a utilização dos refugos e descartes comuns da Universidade.

 Questionado sobre a relevância deste projeto frente à pandemia, o servidor Dieimys disse que “é importante cada um fazer um pouco para combater a proliferação da doença” e que “a confecção desses totens é uma ajuda mínima, mas algo que pode proteger as famílias de todos os que trabalham na UNIFEI”.

 O professor Martinez ressaltou que o isolamento social é importante e disse que àqueles que não podem fazê-lo resta somente a prevenção. “Apoiar projetos que visam ao enfrentamento da doença é de suma importância no cenário atual. Enquanto aguardamos uma vacina viável, precisamos estar alertas e conscientes quanto às formas de transmissão”, defendeu o docente.

Repercussão

 Com a distribuição dos primeiros totens, alguns professores demonstraram interesse em ter, pelo menos, um deles em suas respectivas unidades acadêmicas. Assim, solicitou-se o estudo e posterior confecção de um segundo lote de totens. O modelo proposto pelo servidor Fagner Luiz Campos Cardoso foi então confeccionado. Ao todo, até o momento, 20 locais estratégicos da UNIFEI foram beneficiados com a distribuição desses totens.

 Segundo Adriano Bastos, os projetos poderão ser disponibilizados online para serem replicados por quem desejar. “Como a equipe do LTHE é pequena, o volume de produção é reduzido, e necessitaríamos de mais suporte, incluindo da iniciativa privada, para ajudar mais instituições”, explicou o doutorando.