Gemate da Unifei oferece oficinas para professores de Ciências e Matemática de Itajubá e região

O professor Thiago Clé de Oliveira e participantes em uma das oficinas oferecidas pelo Gemate.

Os professores da Unifei Hévilla Nobre Cezar, Gustavo Paiva Lopes, Rodrigo Silva Lima e Gisele Leite da Silva, participantes de uma das oficinas oferecidas pelo Gemate.

A professora Alessandra Rodrigues ministrou uma oficina para o Grupo.

Professores da rede pública de ensino participando de uma das oficinas junto das professoras da Unifei Denise Pereira de Alcântara Ferraz e Valquíria Claret dos Santos, do Instituto de Recursos Naturais.

Professor Newton Figueiredo Filho ministrando a oficina Peer Instruction.

 

 Após as atividades formativas oferecidas pelo Consórcio Sthem Brasil, do qual a Universidade Federal de Itajubá (Unifei) faz parte, alguns de seus alunos e professores formaram o Grupo de Estudos sobre Metodologias Ativas e Tecnologias Educacionais (Gemate) para tratar de assuntos relacionados a esses temas.

 A professora Denise Pereira de Alcântara Ferraz, do Instituto de Física e Química (IFQ), é a coordenadora do Gemate, que conta com a participação de outros docentes: Newton de Figueiredo Filho, também do IFQ; Rodrigo Silva Lima, do Instituto de Matemática e Computação (IMC); Cláudia Eliane da Matta, Gustavo Paiva Lopes e Thiago Clé de Oliveira, do Instituto de Sistemas Elétricos e Energia (ISEE). O aluno Bruno dos Santos Oliveira, que cursa Engenharia Elétrica também participa do grupo.

 O Gemate elaborou o projeto de extensão Metodologias Ativas e Novas Tecnologias Educacionais no Ensino de Ciências e Matemática, que já ofereceu três oficinas para professores da região de Itajubá, visando o enfrentamento de desafios ligados ao ensino de conteúdos referentes a estas duas áreas do conhecimento, tais como a naturalização da repetência e do fracasso escolar.

 Em contato com a Secretaria de Comunicação (Secom) da Unifei, a professora Denise, comentou sobre os benefícios do grupo para o público acadêmico e para comunidade em geral. Segundo ela, o Gemate tem buscado novas formas de ensinar e aprender, especialmente por meio das metodologias ativas e pelo uso de tecnologias educacionais.

 A professora defende que quando o professor modifica suas metodologias, os alunos podem ser beneficiados e que, com a oferta de oficinas formativas, as comunidades interna e externa da Universidade são contempladas com o acesso à formação continuada.

 Quanto às três oficinas já oferecidas, a primeira, sobre Narrativas Digitais, foi ministrada pela professora Alessandra Rodrigues, do IFQ; a segunda, sobre Sala de Aula Invertida, pelo professor Thiago Clé, e a terceira, Peer Instruction, foi conduzida pelo professor Newton de Figueiredo Filho. O grupo espera que o projeto seja ampliado e que as oficinas já realizadas sejam oferecidas a outros professores de Educação Básica e da Unifei que se interessarem.

 As oficinas aconteceram no Laboratório de Ensino de Química, no IFQ, sendo que em cada uma delas participaram, em média, 30 pessoas. O público é formado por professores da Educação Básica da rede pública e da rede privada da região de Itajubá, alunos do Mestrado em Educação em Ciências e professores da Unifei.

 Outras oficinas serão realizadas em breve. Em agosto, está prevista a oficina Tecnologias Educacionais; em setembro, Produção de Vídeo Aula; em outubro, Mapa Conceitual, e em novembro, Criação/Edição e Exibição de Apresentações Gráficas. As oficinas são oferecidas, prioritariamente, para professores de Matemática e Ciências, mas os docentes de outras áreas também são aceitos.

 Além de ministrar e participar das oficinas, vinculadas ao projeto de extensão, os professores Newton e Denise estão ligados ao Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e ambos fazem pesquisas em relação ao uso das metodologias ativas no ensino de Ciências e Matemática. Duas dissertações de mestrado já foram defendidas com esse tema e outras estão em andamento.

 As reuniões do Gemate começaram em agosto do ano passado, devido à iniciativa de colaboração entre os professores Thiago Clé e Denise Ferraz. Outros professores foram se agregando, de acordo com o andamento das atividades. Além das oficinas oferecidas, o Gemate se reúne, semanalmente, para estudar sobre metodologias ativas e tecnologias educacionais.

 O Grupo pretende fazer um encontro com os participantes, no fim do ano, para que possam compartilhar informações sobre o uso dessas metodologias e tecnologias em suas experiências pedagógicas.

Consórcio Sthem

 O Consórcio Sthem Brasil é uma rede que nasceu em 2013, pela iniciativa de 11 instituições de ensino superior (IES) lideradas pelo Centro Universitário Salesiano de Lorena (Unisal), com o objetivo de investir na formação de professores, fortalecer o engajamento e melhorar o aprendizado dos estudantes, através das metodologias ativas.

 O termo Sthem é composto pelas iniciais em inglês de Science, Technology, Humanity, Engineering and Mathematics – Ciências, Tecnologia, Humanidades, Engenharia e Matemática. O Consórcio, inédito no país, reúne mais de 40 IES públicas e privadas e a organização Laspau – Academic and Programs for the Americas, filiada à Universidade Harvard, dos EUA, e responsável pela formação dos participantes.

 A Universidade Federal de Itajubá (Unifei) participa do Comitê Gestor do consórcio, sendo representada pelo professor Thiago Clé de Oliveira, do Instituto de Sistemas Elétricos e Energia (ISEE) e atual pró-reitor adjunto de Graduação, que compõe o Comitê de Pesquisa do consórcio juntamente com Carlos Alberto Figueiredo da Silva, do Centro Universitário Augusto Motta (Unisuam), e Octavio Mattasoglio Neto, do Instituto Mauá.