Unifei de Itabira realiza novos encontros do Programa de Capacitação em Metodologias Ativas de Aprendizagem

Professores participantes de uma das edições do programa em 2018.

Mark Serva, docente da Universidade de Delaware, foi um dos condutores das aulas neste ano.

 

 A Universidade Federal de Itajubá (Unifei), campus de Itabira, segue promovendo atividades do Programa de Capacitação em Metodologias Ativas de Aprendizagem. Entre os dias 2 e 4 de julho, a universidade recebeu os professores Paul Hyde e Mark Serva, da Universidade de Delaware, e Ulisses Araújo, docente da Universidade de São Paulo (USP).

 Em três dias de evento, o foco das discussões foi o método de ensino Problem-Based Learning (PBL). A prática tem por objetivo tornar o aprendizado centrado no aluno e, dessa forma, o estudante sai do papel de receptor passivo para assumir o de agente principal e responsável pelo conhecimento adquirido.

 Membro da equipe organizadora do programa, Alice Cristina Figueiredo destacou que um dos trunfos dessa edição foi a percepção de que todas as discussões poderão ser aplicadas na prática. A servidora ainda ressaltou um importante tema abordado, a inclusão. “Até então, tínhamos um perfil praticamente homogêneo de estudantes. Mas com programas como o Enem, Sisu e as cotas para deficientes físicos, esse perfil está mais diversificado, o que nos levou à discussão sobre como atender a todos esses alunos. Foi a primeira vez que realmente abordamos o tema da inclusão e valeu muito a pena”, revelou.

Outro encontro foi promovido no período de 31 de julho a 3 de agosto. Desta vez, coordenaram as atividades os professores da Universidade do Minho, instituição portuguesa também parceira no programa. Durante quatro dias, os docentes portugueses Rui Lima e Diana Mesquita debateram sobre o tema “Pesquisa na Educação em Engenharia”.

Aldo Peres Campos e Lopes, do Instituto de Ciências Puras e Aplicadas, professor de Matemática no campus de Itabira, vem participando do programa e falou sobre o uso de metodologias ativas em sala de aula. “Desde que entrei na Unifei, tenho procurado aprimorar minha forma de ensino. Comecei a desenvolver o método PBL com uma turma de Cálculo III e fiz várias leituras, aprofundando-me sobre o tema. Pretendo continuar com o uso dessa metodologia em minhas turmas, abrangendo ainda mais outras disciplinas, já que pude ouvir a opinião favorável dos discentes”, detalhou ele.