Unifei realiza campanha de combate ao Aedes aegypti

Neste ano, no dia D de combate ao mosquito, a Unifei montou a Tenda de Informações sobre Aedes Aegypti.

Na Tenda, todo o material relacionado à prevenção e combate ao mosquito foi disponibilizado à comunidade.

 

 O Ministério da Saúde lançou, no mês de novembro, a Campanha de Combate ao Aedes aegypti, com o objetivo de mobilizar toda a população para a importância de intensificar, neste período que antecede o verão, as ações de prevenção contra o mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya.

 Uma das programações dessa Campanha foi a realização da Semana da Mobilização Integrada para o Combate ao Aedes aegypti, no período de 26 a 30 de novembro, que mobilizou 210 mil unidades públicas e privadas de todo o país. Esta iniciativa coincide com o período epidêmico para as doenças transmitidas pelo Aedes, que vai de novembro a maio, porque o calor e as chuvas são condições ideais para a proliferação do mosquito.

 A Universidade Federal de Itajubá (Unifei), por meio da comissão responsável por coordenar as ações de combate ao Aedes aegypti, tem trabalhado continuamente para que seus espaços externos e internos estejam livres de focos e mosquitos. Neste ano, no dia D de combate ao mosquito, a Unifei, em cooperação com o Setor de Endemias da Prefeitura Municipal de Itajubá, disponibilizou a Tenda de Informações sobre Aedes Aegypti, onde todo material relacionado à prevenção e combate ao mosquito foi disponibilizado. Ela foi montada em frente ao prédio da Biblioteca Mauá (BIM), no campus sede da Unifei, e pôde ser visitada pela comunidade no dia 30 de novembro, sexta-feira, desde as 8h30.

 Segundo a presidente da Comissão de Combate ao Aedes aegypti, Simone Arantes Coronado, do Núcleo de Inovação Tecnológica (NIT) da Unifei, na agenda de ações, já foram realizados também treinamento para limpeza do reservatório de água de geladeiras e vistoria nas salas do Prédio da Administração Central, o que será estendido a toda a Universidade, até que todos os departamentos estejam aptos a manterem o controle do mosquito internamente. “Materiais de divulgação também estão espalhados pelo campus, realizando um chamamento à comunidade a se organizar melhor para enfrentarmos, juntos, este problema que é de todos”, disse Simone.