Unifei realiza o projeto Setembro Amarelo – Mês da Prevenção ao Suicídio

O projeto de prevenção ao suicídio aconteceu durante todo o mês de setembro, com diversas atividades em toda a Universidade.

Durante o Setembro Amarelo, foram realizadas atividades relacionadas à saúde mental, como palestras motivacionais e rodas de conversa.

A iniciativa do projeto foi uma parceria entre o Serviço de Psicologia da Unifei e o Diretório Central dos Estudantes (DCE), com o apoio da Dace, Aiesec e Atlética Unifei.

 Durante todo o mês de setembro, foram realizadas na Universidade Federal de Itajubá (Unifei) atividades relacionadas ao Setembro Amarelo – Mês da Prevenção ao Suicídio. A iniciativa do projeto foi uma parceria entre o Serviço de Psicologia da Unifei e o Diretório Central dos Estudantes (DCE) e contou com o apoio da Diretoria de Assuntos Comunitários e Estudantis (Dace), Aiesec e Atlética Unifei.

 As atividades do Setembro Amarelo foram divididas por temas: Semana de Valorização da Vida, Semana da Importância do Esporte, Semana do Autoconhecimento e, por último, Semana de Reflexão. Durante estas semanas foram realizados vários eventos, como palestras de conscientização, oficinas, debates, mesas redondas, rodas de conversa e vivências relacionados ao tema.

Atividades das Semanas

 Na Semana da Valorização da Vida, iniciada no dia 3, aconteceu a palestra de abertura, que teve como público-alvo os docentes da Unifei e de outras faculdades da cidade de Itajubá. O tema “Saúde mental e suicídio entre estudantes: como os docentes podem colaborar para a promoção da saúde mental?” foi desenvolvido por Kelly Graziani Giacchero Vedana, professora da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, da Universidade de São Paulo (USP). Ela abordou aspectos práticos e aplicáveis ao cotidiano dos docentes relacionados a promoção da saúde mental e prevenção do suicídio entre estudantes, além de outros assuntos.

 No mesmo dia, para um público mais amplo, envolvendo a comunidade interna e externa, a mesma professora conduziu a palestra “Prevenção do comportamento suicida”, na qual foram abordados também aspectos práticos e aplicáveis ao cotidiano dos estudantes, relacionados à saúde mental e à prevenção do suicídio e outros assuntos.

 Finalizando a primeira semana, aconteceu a palestra sobre “Amor próprio e saúde mental: relatos e experiências”, ministrada pela aluna do curso de Administração, Mônica Martins, na qual foi discutida a importância da autoestima para a saúde mental. A palestrante destacou como questões relacionadas à autoimagem podem afetar e comprometer a saúde psíquica, especialmente quando as mídias sociais reproduzem padrões estéticos de beleza inatingíveis para a maioria das pessoas.

 Na Semana da Importância do Esporte, foram realizadas três atividades: a mesa redonda sobre “A importância do Esporte na Saúde Mental”, que teve como objetivo refletir e discutir como as práticas desportivas contribuem para a saúde da mente, minimizando o sofrimento psíquico e contribuindo para a redução dos sintomas de depressão e ansiedade, e da qual participaram Tássia Milene, psicóloga clínica, e Vinicius Assunção da Silva, membro da Atlética Unifei; o “Free Hugs”, durante o qual abraços foram distribuídos no Centro de Vivência, na Biblioteca e no prédio da Administração Central, e a “Queimada”.

 Na Semana do Autoconhecimento aconteceram a “Oficina de Respiração e Meditação”, conduzida por Elisa Ventura; “Vivência de Mandalaterapia”, coordenada pela psicóloga clínica Jeruska Maciel; a oficina temática sobre “Inteligência Emocional”, realizada pela coach Raquel Candela, e o “Desconecte-se”.

 Por último, durante a Semana da Reflexão, ocorreu a Roda de Conversa coordenada pelas psicólogas Flávia Ludovico e Thamiris Daniel, da Unifei, com o tema “Vamos falar sobre saúde mental?”, na qual os discentes puderam participar efetivamente, dando depoimentos sobre como as relações acadêmicas estão diretamente relacionadas à saúde mental.

 Também nessa semana, houve a mesa redonda com o tema “Sociedade Tarja Preta: reflexões sobre a medicalização da educação e da sociedade”, quando foram discutidas a importância de se diferenciar o que é tristeza e depressão, assim como a necessidade de controle sobre o uso de medicamentos psicotrópicos. Participaram da mesa Jorge Tostes, médico psiquiatra; Fabiana Sene, psicóloga do Centro de Atenção Psicossocial de Itajubá – Álcool e Drogas (Caps-AD), e Raissa Nascimento, médica da Unifei.

 O mês de prevenção ao suicídio contou com a participação de diversos integrantes da comunidade externa e interna da Unifei e recebeu elogios por parte dos que puderam vivenciar a experiência. Segundo as responsáveis pelo do Serviço de Psicologia da Unifei, ações como essa visam, principalmente, trabalhar para a promoção da saúde mental da comunidade acadêmica, possibilitando um espaço de escuta, discussões e reflexões dos fatores de risco e proteção da saúde mental. “As vivências universitárias são permeadas de emoções difusas e conflitantes pelos estudantes. Lidar com a pressão e as expectativas e buscar um equilíbrio pode ser difícil para muitos. Além disso, o distanciamento afetivo e sentimento de solidão é um sentimento comum entre os acadêmicos, o que pode contribuir para sintomas depressivos e de desesperança com a vida e o futuro”, afirmaram as psicólogas Thamiris Daniel dos Santos e Flávia Ludovico de Matos.

Atividades permanentes

 Durante o ano inteiro, de segunda a sexta-feira, o Serviço de Psicologia da Unifei oferece o atendimento por meio do Plantão Psicológico. Além disso, é desenvolvido, desde o início do ano, juntamente com o Serviço de Pedagogia, o projeto de extensão “Oficinas Temáticas”, as quais percorrem os institutos da Universidade, trabalhando temas do interesse dos discentes. O objetivo é colaborar com a criação de estratégias de enfrentamento das dificuldades vivenciadas pela comunidade acadêmica, com intervenções a partir da temática escolhida pelos estudantes.

 Também é realizado, em todo início de ano letivo, o projeto “Longe de Casa”, voltado principalmente para calouros que vêm de outras cidades e que se configura como um espaço de informações e socialização para sujeitos que estejam passando por dificuldade de adaptação ao ambiente universitário.

 Para mais informações sobre esses e outros serviços, os interessados devem acessar o link: https://unifei.edu.br/social/saude/psicologia/.