Personagens de destaque da Ciência, da Educação e da Tecnologia no Brasil são retratados por grafite na Unifei

O painel retrata personalidades que marcaram a Ciência e a Educação no Brasil e outras ligadas à história da Instituição.

 Dois artistas plásticos mudaram o visual do muro de entrada do campus sede da Universidade Federal de Itajubá (Unifei). Com um painel feito em grafite e com técnica de estêncil, eles retrataram 33 personalidades que marcaram a Ciência e a Educação no Brasil, além de outras ligadas à história da Instituição.

 O painel foi feito pelos artistas plásticos Diego Dais e Letícia Floriano, que ganharam um concurso de arte urbana feito pela Universidade em 2017. Neste ano, a ideia foi aplicada em toda a extensão do muro. “A técnica que usamos foi o estêncil, uma forma de grafite feita com moldes e uma das mais antigas praticadas aqui no Brasil”, explica Diego.

 A obra retrata personalidades que vão do inventor Santos Dumont ao sanitarista Oswaldo Cruz, passando pela bióloga Bertha Lutz e pelo físico César Lattes. “Em princípio, seria algo que abrangesse o mundo, mas, depois, passamos para figuras nacionais e locais”. Segundo a dupla, o principal objetivo é inspirar os estudantes e professores que chegam na Instituição e que passam em frente ao muro.

 A proposta foi pensar em algo que se adequasse à história também da Unifei e da Tecnologia. Por este motivo, figuram entre as personalidades professores e alunos da Instituição – a exemplo do matemático Antônio Rodrigues d’Oliveira e do ex-aluno Aureliano Chaves – bem como de personalidades da região, a exemplo de Sinhá Moreira, figura importante na oficialização do ensino técnico no país.

 Uma homenagem foi feita também ao servidor Benedito Victor Pereira, mais conhecido como “Chuveiro”, falecido em 2013. Conhecido por professores, alunos e técnicos pelo trabalho que realizava junto às crianças de Itajubá na escolinha de futebol que criou dentro do campus e também por sua participação nos eventos festivos da Instituição, seu rosto no muro é uma retribuição aos 52 anos de trabalho dedicados à Universidade.

 Cada obra apresenta ainda um QR Code, que é um código de processamento eletrônico, em que os visitantes podem ver pelo celular as informações sobre as personalidades representadas no painel. “A gente queria fazer um painel em que as pessoas soubessem quem está no muro, para elas conhecerem um pouco mais da história”, diz Letícia.

 Para a diretora de Cultura da Unifei, Flávia Motta, o trabalho dos artistas mostra que a arte é capaz de dar novos significados e de trazer mais beleza, criatividade e inspiração até mesmo para o que, então, era apenas concreto.